‘É isto um homem?’, de Primo Levi

é isto um homem

É isto um homem? vai além de um relato de um sobrevivente do campo de concentração judeu de Auschwitz, na Polônia. O livro do judeu italiano Primo Levi, que foi confinado em um dos maiores campos de concentração nazista durante a Segunda Guerra Mundial, é uma análise da natureza humana.

Primo Levi não se limitou a traçar a história dos massacres de judeus pelos nazistas em campos de concentração durante a Segunda Guerra como estamos acostumados a sabê-la: de um lado, a história dele e de outros judeus injustiçados e do outro os cruéis alemães nazistas. No entremeio das histórias que viveu e contou, Levi ocupou-se em traçar um retrato das desumanização dos dois lados.

É Isto um homem? mostra a desumanização da raça judia, etnia da qual foi arrancado o direito à dignidade. Nos campos de concentração os judeus foram maltratados, subjulgados, reduzidos. Tinham até a faculdade de pensar e se comunicar limitadas. Alguns já estavam moralmente mortos antes mesmo de fecharem os olhos.

Os nazistas, por sua vez, são colocados em pauta em É isto um homem? como seres que perderam a capacidade de respeito, estima, cuidado e serviço pelo seu semelhante. Aglutinaram a superioridade que o nazismo os impôs de tal forma que também perderam a compaixão humana em favor da crueldade e frieza.

Neste ínterim, Levi, que sobreviveu às condições cruéis que lhe foram impostas, defende que a sobrevivência e dignidade humanas são possíveis, ainda que haja restrição de todos os direitos humanos. Ele ficou 11 meses confinado em Auschwitz. Dos 650 judeus que chegaram no campo na mesma época que ele, apenas 20 sobreviveram.

A fome, o frio, a humilhação, a sede, o desconforto, o medo, as incertezas, as doenças, o trabalho forçado, as mortes constantes dos companheiros, o crematório e câmara de gás, todas as experiências vividas por ele e outros judeus em Auschwitz foram relatadas com uma sobriedade desconcertante. Talvez É isto um homem? seja o retrato mais fidedigno de um campo de concentração.

levi432portrait

[+] Primo Levi foi libertado em 27 de janeiro de 1945. Até regressar à Itália, ele passou, junto com outros prisioneiros de guerra, pela Polônia, Ucrânia, Romênia, Hungria, Áustria e Alemanha, experiência que relatou no livro A Trégua.

[+] Depois de liberto, Levi também escreveu ficção. É de autoria dele a Vizio di Forma, uma coleção de histórias de ficção científica.  Ele também escreveu outro livro de memórias, Momentos de Reparação. Nesta obra Levi fala sobre os homens que observou durante a prisão no campo de concentração.

[+] É isto um homem? é considerado um dos mais importantes livros de memórias do século 20. Antes de ser publicado, ele chegou a ser rejeitado pela Einaudi, editora mais importante de Turim. Um pequeno editor publicou o livro em 1947 e apenas 1500 exemplares foram vendidos. Posteriormente, em 1958, a Einaudi finalmente publicou É isto um homem? e o traduziu em diversas línguas.

[+] Primo Levi morreu em abril de 1987. Ele caiu da escada do prédio onde vivia. Existe a hipótese de que tenha se suicidado.

[+] Está disponível no Youtube um interessante documentário italiano sobre o retorno de  Primo Levi a Auschwitz, em 1982.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s