Adeus imaginário

O homem imaginário vive numa mansão imaginária rodeada de árvores imaginárias na margem de um rio imaginário Dos muros que são imaginários pendem antigos quadros imaginários irreparáveis fendas imaginárias que representam fatos imaginários ocorridos em mundos imaginários em lugares e tempos imaginários Todas as tardes imaginárias sobe as escadas imaginárias e debruça-se na varanda imaginária…

prelúdio

Oi! Acho que dizer “oi” é um bom começo. Agora vamos em frente. Sejam bem-vindos.